terça-feira, 15 de setembro de 2009

Jogo de cintura

Você não me entende,
mas fique ciente:
não sou dependente
de sim ou de não.

Quando eu choro,
eu não me ignoro:
eu grito e imploro,
me jogo no chão.

Se for meu tropeço,
me viro do avesso:
finjo que esqueço
ou peço perdão.

Se apertar o passo,
eu troco o compasso:
te dou um abraço
e ganho a razão.

Um comentário:

nauhara disse...

FILHA DA PUTA VC NEH DN AMANDA!!!!????

Como amo do tamanho do ceu.