domingo, 8 de agosto de 2010

Meu melhor que amigo

Eu posso dizer que tenho um amigo
que quando eu nasci me fez poesia
Quando tive medo, ele dormiu comigo
me pos em seu peito, e no meu, harmonia

Ele é meu exemplo, de sim e de não
ninguém neste mundo o substitui
Ele é meu templo, meu erro e perdão
amém oriundo de amor que flui

Me ensinou o valor de se doar
e o quanto é bom não guradar mágoas
Que o que cura a dor é perdoar
e que isso é um dom, fonte da mais pura água

Me mostrou o belo, a natureza
me criou em berço cheio de verdade
Nós temos um elo da mais sutil pureza
sem fim nem começo, pra eternidade

É um homem feito de muito menino
É quem me apóia em qualquer decisão
com tanto respeito e amor divino...
Ele é a clarabóia da minha escuridão

Eu posso dizer que tenho um amigo
que com sua mão segura a minha quando eu grito ai
Eu posso dizer que tenho um amigo...
Uma alma vizinha, que chamo de pai.

2 comentários:

luizfernando disse...

Por que será que eu choro toda vez que leio isso?

chaguri disse...

lindo! lindo demaaaaaaaaais! é de chorar msm! "alma vizinha, que chamo de pai!" dá um nó na garganta. um nó de amor...