sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Saudade

Todas as vezes que acordo
(de uma noite longa de sono
ou de um cochilo a tarde),
sinto meu coração migrando para os pés
Vio-lentamente.

E só percebo que é pura imaginação
quando sinto ele bater forte
em sintonia com meus goles de choro!

Acho que meu choro é ácido
pois logo que alcança o estômago
volta
e pára na garganta
deixando um rastro de adrenalina pelo caminho.

Aí vem a surdez-mudez
a palidez,
é... minha nudez!

Então retomo a respiração esquecida
e abro os olhos
pra me convencer de que estou em terra firme
(mas não tão firme assim).

Um comentário:

Gabriel disse...

feXa os olhos de novo e lembrará de que a saudade eXiste, mas que o prazer dos olhos nos olhos e o abraço sincero, não tem preço!